Sucesso nas redes sociais, Dona Nuvem se torna franquia

 

por Paulo Gratão

O que não falta para a Rua Augusta, em São Paulo, são histórias para contar. Uma das mais recentes acaba de anunciar que se tornará franquia: a sorveteria Dona Nuvem. A empresa abriu as portas há quase um ano e chamou a atenção dos clientes ao oferecer artes comestíveis com sorvete e algodão doce, em um ambientelúdico e propício para ganhar as timelines das redes sociais. A novidade do franchising foi anunciada na última edição da Feira do Empreendedor, em São Paulo.

Manoel Lima, idealizador da Dona Nuvem

De acordo com o idealizador, Manoel Lima, a ideia de negócio surgiu durante um período em que ele passou em Londres. Ao estudar modelos diferentes de negócios para trazer para o Brasil, se deparou com uma ideia similar à oferecida agora pela Dona Nuvem. “Eu voltei pra cá e pensei na primeira impressão do produto. Trouxe memórias afetivas de infância, eu queria que trouxesse a mesma sensação para o consumidor”, lembra.

A meta da empresa é chegar a 10 unidades em 2018. Para isso, ajudará os cinco primeiros franqueados com 50% do estoque inicial. De acordo com a marca, isso diminuirá o investimento do franqueado em 5%, potencializando o capital de giro. “Isso não significará que seremos sócios do franqueado ou teremos participação futura em seus lucros. Apenas queremos atrair empresários com o perfil adequado para nossa marca e que vejam na franqueadora uma parceira motivadora desde o início da relação. Estamos convictos de que o bom  relacionamento entre franqueador e franqueado é o que torna a franquia um sucesso perene e nos preparamos para investir em nossa rede”, afirma Lima.

Confira, a seguir, uma entrevista exclusiva com Lima sobre o modelo de franquia que será adotado pela Dona Nuvem e as oportunidades de mercado.

Como foi o primeiro ano de operação da Dona Nuvem? Como as redes sociais ajudaram no crescimento da marca?

Tivemos um crescimento 100% orgânico. Desenvolvemos a marca com o perfil muito próximo do público de mídia social. Desenhei uma estratégia de marketing onde a marca fala com o cliente. Eu pensei em ter a Dona Nuvem enquanto personagem e é ela que interage com o cliente na loja e na rede social. Por outro lado, até pelo produto ser bastante fotogênico, viraliza de forma interessante. O ambiente de loja também foi pensado para que a pessoa interagisse com a marca. Temos um painel gigante e, ao publicar uma foto no Instagram, o consumidor pode se ver lá. Isso faz com que a marca interaja de forma completamente diferente.

Esse modelo foi mantido para a formatação da franquia?

Desde o início eu pensei que precisava ser ummodelo que funcionasse muito bem. Eu não quero que meu franqueado não consiga ter essa experiência. Aceleramos o processo de franquia por demanda do nosso cliente. Eles pediam para comprar franquia, para abrir a loja em outro lugar. Para isso, buscamos profissionais do mercado com expertise para entregar essa questão e tornar o negócio realmente sustentável para o franqueado. Operamos o modelo de quiosque em alguns eventos e vimos que é viável também. Por isso, conseguimos entrar no modelo de franquia com dois modelos de negócio. Oferecemos o mix completo tanto no quiosque quanto na loja. Além disso, as ações do quiosque serão as mesmas da loja, dependendo apenas das condições dos shopping centers.

Como a marca pretende se manter em períodos de vendas mais baixas, como no inverno, por exemplo?

Queremos ter outras entregas dentro do mix de produto, mas não somente alimentício. Pensamos em itens colecionáveis, por exemplo, justamente por causa dessa interação do cliente com a marca. Temos estratégias de melhora para tíquete médio. Além disso, temos alguns produtos que entram com itens mais quentes. Tem alguns temáticos, como o sorvete de árvore de Natal, que foi uma ação limitada, com um sabor limitado. O cliente pode consumir apenas naquele período. Além disso, temos opções de produto mais quentinhos, que tenham a ver com a estação do ano. Sempre que a gente lança um produto novo, temos uma procura muito grande. Estamos bem seguros em relação a esse período e à nossa estratégia.

Confira as informações de investimento divulgadas pela Dona Nuvem:

Marca: Dona Nuvem

Tipo de negócio Sorveteria

Ano da fundação: 2017

Início da franquia no Brasil:  2018

Total de unidades no Brasil: 1 própria

Investimento inicial: de R$ 180 mil a R$ 350 mil (com a taxa de franquia inclusa)

Taxa de franquia: de R$ 50 mil

Capital de giro: De  R$ 20 mil a R$ 40 mil

Royalties: 5%

Taxa de publicidade: 2%

Área mínima: a partir de 9 m2 (quiosque) e 45 m2 (loja)

Nº de funcionários: mínimo de 3 para início da operação

Faturamento bruto: média de R$ 51 mil (loja) e R$ 40,8 mil (quiosque)

Lucro líquido: 25% loja e 28% quiosque

Prazo de retorno: até 24 meses

Prazo de contrato: 5 anos

Apoio ao franqueado:  Orientação na escolha do ponto comercial; projeto arquitetônico e memorial descritivo da obra; treinamento operacional ao franqueado e equipe; manuais de gestão; consultoria técnica administrativa, financeira e operacional; assessoria de marketing, assessoria de imprensa.

Telefone: (11) 2548.4953

E-mail: franquias@donanuvem.com

Site: www.donanuvem.com.br

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *